/“Que no ano que vem a gente tenha isso espalhado pelo Brasil”: entrevista com Nazareno Affonso, diretor nacional do MDT

“Que no ano que vem a gente tenha isso espalhado pelo Brasil”: entrevista com Nazareno Affonso, diretor nacional do MDT

A Semana Sem Carro promovida pela Ecobonuz em Ipatinga, Varginha, Coronel Fabriciano, Lavras, Itaúna e Timóteo entre os dias 17 e 23 do último mês teve repercussão não apenas entre os moradores das cidades do interior mineiro. Pessoas relevantes no cenário da mobilidade urbana no Brasil, como Nazareno Affonso, diretor nacional do MDT, também se entusiasmaram com a iniciativa.

O diretor do MDT, instituto de abrangência nacional que preza pela qualidade do transporte coletivo no país, destacou o momento da mobilidade urbana nas cidades brasileiras e a importância de ações como a semana promovida pela Ecobonuz. O desejo de Nazareno é que essas iniciativas se espalhem no Brasil em 2019.

Nazareno Affonso, diretor do Instituto MDT (Crédito da foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

“É muito bom. O dia sem carro é o dia 22 de setembro. Quando você amplia para semana você acaba sensibilizando isso. Então eu acho muito boa essa iniciativa e esse esforço que a Ecobonuz tem feito em Minas Gerais. Que no ano que vem a gente tenha isso espalhado pelo Brasil”, deseja.

Nazareno Affonso também comentou a ideia promovida pela Ecobonuz, que incentiva as pessoas a utilizarem o transporte público das cidades.

“Trabalho com transporte há muito tempo e nunca tinha visto uma iniciativa como essa. Estou absorvendo melhor a extensão disso, gostaria muito de acompanhar na prática, mas felicito essa iniciativa. Acredito que é a primeira vez que há um olhar para o usuário do transporte público”, destaca o diretor do MDT, que completa.

“A Ecobonuz é interessante porque foca no usuário com vantagens que incentivam o uso do transporte coletivo. Isso é bom, porque precisamos fazer com que as pessoas percebam que o automóvel está falido como forma de uso cotidiano. As pessoas têm de investir no transporte público”, finaliza.

 Confira abaixo a entrevista completa:

Ecobonuz – Conte um pouco sobre a sua trajetória e o motivo de escolher lutar pela melhora da mobilidade urbana no Brasil.

Nazareno Affonso: “Quando estava encerrando o meu curso de graduação, fiz um trabalho sobre Osasco, São Paulo, que foi meu TCC. Depois eu entrei como estagiário no metrô de São Paulo e fiquei lá até me aposentar. No metrô, coordenei vários projetos funcionais da linha leste, da linha oeste, da extensão norte, ajudei na linha paulista. Enfim, tive um trabalho grande por lá e na câmara metropolitana de transporte”.

Ecobonuz – Com toda a sua experiência em gestão de transporte urbano, o que deve ser feito com maior urgência para que a mobilidade urbana das cidades brasileiras melhore?

Nazareno Affonso: “A questão principal é a democratização do uso do espaço viário. Hoje os automóveis ocupam entre 80% e 90% do sistema viário, transportando entre 30% e, no máximo, 40% dos passageiros do transporte. Há, claramente, uma iniquidade. Então nós estamos defendendo que esse espaço seja democratizado. Que ele seja ocupado por faixas exclusivas de ônibus, ciclovias, calçadas acessíveis para pessoas com deficiência. Enfim, uma cidade para as pessoas e não para os automóveis”.

Ecobonuz – Qual é a grande missão do MDT e como ela pode ser alcançada?

Nazareno Affonso: “A missão do MDT é construir uma agenda comum dos vários atores. O MDT é composto pelos movimentos populares, pelos trabalhadores de transporte, pelos empresários, pelas associações de transporte ativo. Nossa ideia é que esse conjunto elabore uma agenda comum e que essa agenda comum seja assumida por cada um desses segmentos. A construção coletiva é que faz a mudança na área de mobilidade”.

Ecobonuz – Qual são as principais ações realizadas pelo MDT na busca pela melhora da mobilidade urbana no país?

Nazareno Affonso: “Eu penso que a principal ação de todas foi o esforço que nós fizemos no conselho das cidades para construir o Estatuto da Mobilidade Sustentável, que a lei da política nacional da mobilidade. É a lei 12.587, que define claramente o que é uma mobilidade sustentável. Ela coloca claramente a prioridade para os modos coletivos de transporte público e para os modos não motorizados. Essa prioridade é do uso nas cidades, dos investimentos e define a necessidade de uma política de disciplina do uso do automóvel individual. Para que o automóvel esteja integrado com essa política de mobilidade sustentável, onde o eixo principal são os corredores de transportes público, redes cicloviárias e redes de calçadas acessíveis”.

Ecobonuz – O que você pensa da proposta da Ecobonuz, programa de fidelidade com foco nos clientes do transporte coletivo e que procura incentivar as pessoas a andarem de ônibus?

Nazareno Affonso: “Trabalho com transporte há muito tempo e nunca tinha visto uma iniciativa como essa. Estou absorvendo melhor a extensão disso, gostaria muito de acompanhar na prática, mas felicito essa iniciativa. Acredito que é a primeira vez que há um olhar para o usuário do transporte público. Normalmente, não se tem esse cuidado. Nós do MDT temos defendido, por exemplo, a qualificação dos abrigos, a qualificação dos ônibus, para que o transporte do dia-a-dia seja qualificado. E a Ecobonuz é interessante porque foca no usuário com vantagens que incentivam o uso do transporte coletivo. Isso é bom, porque precisamos fazer com que as pessoas percebam que o automóvel está falido como forma de uso cotidiano. As pessoas têm de investir no transporte público”.

Ecobonuz – Como você enxerga campanhas de conscientização como a Semana Sem Carro, promovida pela Ecobonuz?

Nazareno Affonso: “O Dia Mundial Sem Carro tem uma história, que nasceu com o Instituto RUAVIVA que foi para a Europa e trouxe para o Brasil a jornada internacional da cidade sem carros. Isso virou a jornada brasileira sem carros e hoje está em sua 18ª edição. E agora começa a se ampliar isso para uma semana. E eu acho isso muito bom. O dia sem carro é o dia 22 de setembro. Quando você amplia para semana você acaba sensibilizando isso. Então eu acho muito boa essa iniciativa e esse esforço que a Ecobonuz tem feito em Minas Gerais. Que no ano que vem a gente tenha isso espalhado pelo Brasil”.

Instituto MDT

O Instituto do Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos (MDT) é uma organização sem fins lucrativos que defende a Mobilidade sustentável com democratização das vias públicas, barateamento das tarifas, transporte público como direito social, controle social das ações públicas e a implantação do SUM – Sistema Único da Mobilidade.